Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) está situado na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, e é um dos principais marcos da cidade. Foi concluído em 1996.

Construído no Mirante da Boa Viagem, na orla de Niterói, o museu, com sua fachada futurista, permite ao visitante desfrutar de vistas panorâmicas que são oferecidas fora do museu, do pátio ou dentro do museu para um olhar anel de janelas que divide este gigantesco “prato de concreto” em duas trilhas.

O MAC ainda tem atividades educativas desde 1996, chamadas de Desafios Comunicativos da Arte Contemporânea, com a intenção, segundo a administração do museu, de incentivar “a produção artística contemporânea, que é exposta em um espaço público onde indivíduos não pertencentes ao mundo da arte ”

Projetado por Oscar Niemeyer com a ajuda do engenheiro estrutural Bruno Contarini, que trabalhou com Niemeyer em projetos anteriores, o MAC-Niterói tem 16 metros de altura; sua cúpula tem um diâmetro de 50 metros com três andares. O museu projeta-se sobre a praia de Boa Viagem (“Boa Viagem”) e também um bairro, a piscina refletora de 817 metros quadrados que circunda a base cilíndrica “como uma flor”, nas palavras de Niemeyer.

Um amplo declive de acesso leva a um Salão de Exposições, com capacidade para sessenta pessoas. Duas portas levam à galeria de observação, através da qual se pode ver a Baía de Guanabara, o Rio de Janeiro e o Pão de Açúcar. A estrutura modernista em forma de pires, que tem sido comparada a um OVNI, é colocada em um penhasco, no fundo da qual é uma praia. No filme Oscar Niemeyer, um arquiteto comprometido com o seu século, Niemeyer é visto voando sobre o Rio de Janeiro em um OVNI que então pousa no local, sugerindo que esta seja a origem do museu.

Visão geral
O MAC Niterói completou 20 anos de vida pública em 2016. Desde sua inauguração foi imediatamente adotado como símbolo da cidade e rapidamente considerado uma das maravilhas arquitetônicas do mundo. O Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC Niterói) foi reaberto ao público em 16 de junho de 2016 após passar por um número inédito de obras, com investimentos públicos da Prefeitura de Niterói e do Governo Federal. É neste momento que você deve revisitar sua visão e missão pública, projetando um novo conceito de museu – MAC +20 – com perspectivas e compromissos para a renovação de futuros que começam com o senso de lugar de criação, de síntese e unidade entre arte , cultura e sociedade na integração ambiental.

O MAC Niterói foi inaugurado em 1996 para sediar a Coleção João Sattamini, uma das principais coleções de arte contemporânea do Brasil. Ultrapassando todas as expectativas, o MAC projetou a cidade de Niterói para o mundo, tornando-se um dos principais pontos turísticos do Rio de Janeiro e do Brasil.

Desde a escolha do Mirante da Boa Viagem por Oscar Niemeyer, toda a criação da forma arquitetônica do MAC – circular suspensa em frente à Baía de Guanabara com uma rampa em espiral – já expressa em si o poder do museu como um lugar que celebra o encontro especial entre liberdade de criação artística e sociedade como partes da paisagem mundial. Ao mesmo tempo, a forma futurista exige o compromisso e o desafio de pertencer e a aceitação pública ao compartilhamento do lugar de criar novos afetos nas relações humanas como parte da visão de Niemeyer, propondo a experiência da beleza acessível para ricos e pobres. A função utópica do MAC de antecipar futuros para o século XXI nasce desta intuição e comunhão arquitetônica com a maravilhosa paisagem. Mas demanda de toda a participação para ser realizada como um novo conceito de museu,

A reinvenção e reabertura dos projetos MAC como um +20 como uma nova visão colaborativa abrangendo sua forma simbólica circular como um museu aberto para a paisagem mundial e seus arredores. Todos os espaços do museu, seu pátio externo como quadrado; a rampa como escultura de caminho; a varanda como grande sentinela para a paisagem e o meio ambiente; o salão principal como espaço agora – forum; e seu mezanino como um círculo de experiências estéticas, estão sendo projetados como um laboratório de interfaces públicas para práticas artísticas experimentais. Nessa mesma perspectiva ampliada e multisensorial das artes, estão sendo projetadas exposições com o conceito de irradiação nuclear para atividades integradas entre as instituições de Boa Viagem, incluindo o Solar do Jambeiro, o Museu Janete de Arte Popular, o Museu do Ingá e a Ilha da Boa Viagem

Neste sentido, o MAC assumirá a sua vocação plena como agente de interface catalítica através de programas integrados de exposições, ações artísticas, educacionais, ambientais e sociais, como um Laboratório de Futuros que se irradia do Mirante da Boa Viagem para a cidade, país. e mundo. Vale destacar também seu compromisso com a Coleção MAC Sattamini, visando à construção de uma nova reserva técnica – escola compartilhada com o Museu do Ingá, conceito inédito no Brasil.

O MAC Niterói contará com três bases para um novo conceito de museu:

Laboratório de Futures Museum para práticas e pesquisas sobre cruzamentos experimentais e sínteses entre arte, ciência e relações humanas (educação) com novas conceituações de exposições e irradiações ambientais e comunitárias;

Coleção Viva – Coleção de experiências Estudos curatoriais baseados no paradigma e nas mudanças poéticas da arte brasileira contemporânea através das coleções MAC – João Sattamini com investimentos em pesquisa, programa de residência, cursos, seminários e publicações;

Reserva técnica compartilhada Novas instalações para a coleta – Conceito Pioneiro de Reserva Técnica e Escola Técnica de Conservação e Restauração – Estado do Rio de Janeiro e da Cidade de Niterói. Projeto especial do arquiteto Glauco Campello.

Luiz Guilherme Vergara (ex-diretor e curador de 2002 a 2008 e de 2012 a 2016)

Arquitetura
Construído em 1996, destaca-se na paisagem pela ousadia de suas características contemporâneas, que o fazem se assemelhar a um cálice ou disco voador. Levou cinco anos para erguer a estrutura de quatro andares, inscrita em um quadrado de 2.500 metros quadrados.

“Estudante no início dos anos 1960, olhei para o trabalho de Niemeyer como um estímulo, examinando cuidadosamente os projetos de cada novo projeto. Quarenta anos depois, ele ainda tem o poder de nos surpreender.
O museu de Niterói é um bom exemplo. Posicionado no promontório rochoso como uma planta exótica, quebra a arte justaposição convencional com uma vista panorâmica do porto do Rio de Janeiro. É como se em sua mente ele tivesse esmagado, nas rochas abaixo, a caixa de galeria convencional, e nos desafiado a ver a arte e a natureza como duas coisas iguais.

“O próprio edifício do MAC Niterói é o primeiro trabalho que o museu oferece à contemplação. A estrutura das linhas circulares do edifício apresenta-se como uma escultura de 16 metros de altura em praça aberta, na qual o espelho de água colocado em sua base e a iluminação usada dá grande leveza. A rampa externa sinuosa leva ao interior, com dois decks. O moderno complexo arquitetônico, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, apresenta concreto aparente e duro de forma arredondada, lisa e moderna, como é já é uma marca registrada de quase todos os trabalhos de Oscar Niemeyer.

No primeiro andar, a Administração funciona. No segundo andar estão a sala de exposições e a sacada panorâmica envidraçada, também reservada para exposições. O mezanino, por sua vez, que circunda todo o interior do museu, é dividido em salas menores, projetadas para exposições. Na cave há uma área de armazenamento, um bar, um restaurante e um auditório de conferência.

O museu tem 2.500 metros quadrados de área e sua construção levou cinco anos, exigindo 300 trabalhadores. 3,2 milhões de metros cúbicos de concreto foram consumidos, o suficiente para levantar um prédio de 10 andares. O edifício tem 50 metros de diâmetro, tendo recebido tratamento térmico e impermeabilização. A estrutura pode suportar um peso de cerca de 400 quilogramas por metro quadrado e ventos de velocidade de até 200 quilómetros por hora.

Coleção
A coleção permanente do MAC é composta pela Coleção João Sattamini, uma coleção de mais de mil peças, reunidas desde a década de 1950 pelo colecionador João Sattamini, constituindo a segunda maior coleção de arte contemporânea do Brasil. A ideia de criar o museu, segundo Roberto da Silveira, surge da intenção de João Sattamini de doar sua coleção de arte para a cidade. E o museu nasceu justamente para abrigá-lo.

Iniciada em 1966, quando Sattamini reside na Itália, a coleção de quase 1.200 obras é definida como um dos mais significativos conjuntos de arte brasileira produzidos entre as décadas de 1950 e 1990. A coleção abrange um amplo espectro de arte contemporânea à medida que se consolidou no Brasil da década de 1950. Aqui estão trabalhos de, por exemplo, João Carlos Goldberg, Frans Krajcberg, Tomie Ohtake, Abraham Palatnik, Mira Schendel e Carlos Vergara, entre outros. Esses trabalhos revelam a influência de muitas tendências artísticas contemporâneas, como a Nova Objetividade Brasileira, o Experimentalismo, o Concretismo e o Neoconcretismo.

Além da Coleção João Sattamini, o MAC NIT também conta com a Coleção MAC de Niterói, que atualmente é composta por 369 obras de arte doadas por artistas que realizaram exposições no Museu.

Niemeyer
Desde a realização deste projeto, a Prefeitura de Niterói convidou o arquiteto a realizar outras obras na cidade. A série de intervenções urbanas e edificações que abrigam atividades culturais que se seguem, e que seguem uma faixa contínua na paisagem da cidade, é conhecida como Caminho Niemeyer.

A Estrada Niemeyer inclui atualmente dez projetos, cinco concluídos, dois em construção e três ainda em construção: Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Praça JK, Memorial Roberto Silveira, Teatro Popular Niterói, Estação Hidroviária Charitas, Edifício Terminal Barcas de Charitas e Oscar Niemeyer Fundação.

Programação
Além das exposições programadas, há uma programação regular:

Glorinha e Renato – Mostre o musical das crianças sempre no 2º sábado de cada mês às 11h no auditório (porão do museu).
Cineclube Cineolho – Local: auditório (subsolo do museu), distribuição de senhas a partir das 15h30 (60 lugares).
Feira de Intercâmbio Cultural – No pátio do museu, das 10h às 13h – primeiro domingo do mês – traga seus objetos culturais, usados ​​ou não, para expor e realizar as trocas. Paralelamente à feira, haverá a Tocata Aberta, uma oficina experimental de música intuitiva.
Encontro de Professores – Local: auditório (subsolo do museu) – Toda 3ª quinta-feira do mês, das 14:00 às 17:00 horas – Programa mensal de ensino para professores e alunos de cursos de graduação em todas as áreas do conhecimento.
Visita guiada ao público espontâneo – Todos os sábados, das 11h às 23h30 e das 15h às 15h40
Contação de histórias no MAC de Niterói – Todos os domingos, 4 da tarde.
Tai Chi Chuan – quartas e sextas-feiras, das 07:30 às 08:30; Domingos, das 08h30 às 09h30.
Bistro
O MAC Bistro está localizado no porão do museu. Funciona às terças, quartas, quintas e domingos, das 9h às 18h. Sextas e sábados, das 9h às 24h.

Biblioteca e publicações
A biblioteca possui cerca de 40 mil documentos sobre arte brasileira moderna e contemporânea. Livros, catálogos, teses, dissertações, dossiês (de artistas visuais, críticos de arte, arquitetura e design), revistas, recortes, multimídia (DVD, CD, CDROM e VHS) e outros itens informativos e focados na história e na memória da instituição , são disponibilizados pela Divisão de Teoria, Pesquisa, Curadoria e Documentação para consulta.

Chegando la
Para aqueles de vocês no Rio de Janeiro, a maneira mais usual e rápida de chegar ao Museu de Arte Contemporânea de Niterói é ir à Praça XV e atravessar a Baía de Guanabara de barco.

Chegando em Niterói (Praça Araribóia), siga para o Terminal Rodoviário João Goulart, ao lado da estação de barcos. De lá, partem ônibus para a Região Oceânica de Niterói, a praia de Icaraí, Charitas e bairros adjacentes. Entre as linhas de ônibus que passam pelo Museu está a linha 47B. Alternativamente, o transporte de táxi da estação para a balsa e o museu MAC está disponível e aconselhável, com a corrida demorando não mais do que 5-10 minutos.

Tags: